Tese de Aceleração da plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA)

O estudo mapeia novas possibilidades de aceleração de diferentes tipos e estágios de negócios de impacto socioambiental que atuam na/com a Amazônia. Após uma profunda imersão, foram identificados os desafios mais característicos do bioma. A Tese indica os percursos possíveis para acelerar negócios que representem soluções a esses desafios, dentro de 4 eixos: Bioeconomia, Regeneração e Restauração, Carbono/Clima e Cadeias de Fornecimento Sustentável.

Recomendações para a consolidação do Plano Estadual Amazônia Agora para o horizonte de 2030.

Este relatório oferece um conjunto de 6 recomendações gerais e 50 recomendações específicas direcionadas para a consolidação e o fortalecimento do Plano Estadual Amazônia Agora. O Plano é uma iniciativa liderada pelo Governo do Estado do Pará, apresentada publicamente pela primeira vez em Madrid, durante a 25ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP25), em dezembro de 2019, e vem sendo estruturada e complementada ao longo do ano de 2020. Este relatório pretende ser um insumo para fomentar o necessário debate qualificado junto à sociedade paraense, uma vez que o sucesso de qualquer estratégia de desenvolvimento de longo prazo depende em boa medida da discussão, apropriação e engajamento efetivo dos principais atores sociais

Fronteiras da atuação empresarial em clima

“O framework apresentado nesta publicação consolida conteúdos e reflexões emergentes de um processo que envolveu empresas, pesquisadores e espacialistas, relacionados
às práticas e fronteiras que precisam ser alcançadas e ultrapassadas para o avanço da agenda empresarial em clima e suas interfaces com os temas de justiça social ebiodiversidade.”

Diagnóstico Amazônia pelo Clima: bases para a ação climática nas capitais da Amazônia Legal brasileira

Elaborado no âmbito do projeto Amazônia pelo Clima, este relatório traz um panorama da agenda climática na região da Amazônia Legal brasileira a partir de pesquisa em fontes secundárias e primárias sobre: políticas, instrumentos e projetos climáticos existentes nas nove capitais; atores presentes na agenda climática local e regional; fontes e oportunidades de acesso a recursos para o financiamento da ação climática local. Parte-se da retomada do perfil da região com base em informações socioeconômicas relevantes associadas aos fatores de vulnerabilidade à mudança do clima e às emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) geradas nos territórios amazônicos.

Amazônia e Bioeconomia sustentada em Ciência, Tecnologia e Inovação

O caderno especial “Amazônia e Bioeconomia” representa uma contribuição do Instituto de Engenharia à discussão sobre as oportunidades e desafios do Brasil na Bioeconomia, área em que já existem exemplos de sucesso, resultantes da cooperação entre instituições públicas, governos e iniciativa privada.

Bioeconomia da sociobiodiversidade no estado do Pará

O documento analisa a importância econômica atual e potencial do uso direto da biodiversidade para a economia do estado do Pará e apresenta recomendações para a implementação de políticas públicas com vistas ao desenvolvimento de uma bioeconomia baseada na floresta nativa e na sociobiodiversidade. Os resultados do estudo comprovam que as cadeias de valor dos produtos da sociobiodiversidade beneficiam desde agentes econômicos da esfera local à esfera nacional.

Uma Agenda pelo Desenvolvimento da Amazônia

Nas próximas páginas são apresentados caminhos para o desenvolvimento da Amazônia partindo de um conjunto de ambições: o aumento da qualidade de vida para a população local, a valorização da […]

Radiografia da Amazônia Legal: Educação

Este relatório apresenta uma radiografia da Amazônia Legal em Educação, com base em dados públicos existentes a nível nacional, com o intuito de identificar desafios e oportunidades para o desenvolvimento da […]

Radiografia da Amazônia Legal: Segurança Pública

Este relatório apresenta uma radiografia da Amazônia Legal em Segurança Pública, com base em dados públicos existentes a nível nacional, com o intuito de identificar desafios e oportunidades para o desenvolvimento […]

Atlas das Juventudes

O Brasil é lar de quase 50 milhões de pessoas com idade entre 15 e 29 anos (1⁄4 da população). Isso é o que pode- mos chamar de “bônus demográfico”. […]

Retratos Setoriais – Energia

O setor energético no Brasil é marcado principalmente pela alta proporção de fontes renováveis em sua matriz, que mesmo perfazendo menos de 50% da energia consumida, ainda representa parcela considerável […]

Retratos Setoriais – Óleo & Gás

O setor de Óleo e Gás na Amazônia, em toda sua sub-região Andina, é particularmente favorecido pelas condições geológicas locais que abrigam reservas em quantidade e qualidade significativas. No Brasil, […]

Fatos da Amazônia 2021

A publicação sintetiza as informações econômicas, sociais e ambientais da Amazônia Legal. Esse relatório foi elaborado com base em dados secundários de diversas instituições públicas, pesquisa e sociedade civil.

Aprendizados e desafios da inserção de tecnologia solar fotovoltaica no Território Indígena do Xingu

O projeto Xingu Solar, desenvolvido pelo Instituto Socioambiental, instalou 70 sistemas fotovoltaicos em 65 comunidades do Território Indígena do Xingu até o início de 2019. Como forma de contribuir com essa iniciativa, este documento apresenta uma análise dos resultados, aprendizados e desafios do projeto, além de discutir as vantagens e desvantagens técnicoeconômicas da aplicação de três tipos de tecnologias de geração de eletricidade (diesel, solar e uma combinação das duas) para diferentes cenários de demanda de energia elétrica no Xingu.

Avaliação de impacto socioambiental da introdução de sistemas fotovoltaicos no Território Indígena do Xingu

O projeto Xingu Solar, desenvolvido pelo Instituto Socioambiental, instalou 70 sistemas fotovoltaicos em 65 comunidades do Território Indígena do Xingu até o início de 2019. Este documento apresenta uma avaliação de impacto sociocultural resultante da introdução desses sistemas. Para isso, foram realizadas visitas a campo nas comunidades do Xingu, com aplicação de questionários semiestruturados para colher os dados necessários.